terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Urutrip ... Férias em família!



Oi Pessoal!

Estamos no clima de férias e eu estava devendo contar para vocês um pouquinho de como foram as minhas  férias em família. Então resolvi fazer esse post para que vocês, assim como eu, viajem por um lugar delicioso chamado Uruguai.
Minhas férias não aconteceram em Janeiro, como a maioria das pessoas. Eu e minha família tivemos férias em novembro do ano passado. E apesar do lindo sol que brilhava no céu, desfrutamos de dias frescos de aproximadamente 18 graus.
Para mim, uma viagem começa com a sua preparação. Eu costumo buscar muitas informações sobre o local, compro guia de viagem, converso com pessoas que já foram, acesso sites, blogs, vejo fotografias, pego dica daqui, dica dali e assim monto meu roteiro e começo a sonhar. É uma delícia essa pré viagem, porque quando chego ao local a emoção é muito maior. Tenho a sensação de estar realizando um sonho.
Mas, preciso confessar que essa pré viagem não foi tão curtida quanto deveria ser. Pois foi muito próxima da festa de 1 ano da Alice e todo o meu pensamento estava voltado para aquele dia tão aguardado. Viajei 1 semana após o aniversário dela e foi tudo muito corrido. Mesmo assim, fiz algumas pesquisas e me preparei um pouquinho. Afinal, essa foi a primeira viagem de férias com a Alice.
Viajar para outro país requer alguns cuidados especiais e alguns irei descrever aqui para poder ajudar a você querida leitora, que deseja fazer a primeira viagem com seu bebê e está um pouco perdida. Espero que as dicas ajudem.


  • Meu primeiro cuidado foi com relação a saúde da Alice, e qual deveria ser a minha conduta frente a uma possível enfermidade. Por isso procurei o Pediatra e peguei algumas informações. Ele me deu uma receita médica com alguns medicamentos e posologias para os primeiros cuidados caso Alice apresentasse febre, enjoo, dores,alergias e etc. Comprei os medicamentos e levei todos e mais a receita em uma bolsinha de primeiros socorros na mala que despachei. 
  • Um outro cuidado que precisei ter foi com a documentação necessária para entrar no outro país. Cada local tem seus critérios e você não pode deixar passar nenhum deles desapercebido, se não, você não entra no local que deseja. No Uruguai era necessário apenas a identidade com foto de nós 3. Em outros países você pode precisar de passaporte, visto, comprovante de vacina e etc. Essa parte deve ser vista com muito cuidado pois eles são rigorosos .
  • Pesquisei o clima do local e defini os passeios que eu queria fazer. Isso me ajudou a montar a minha mala e a da minha filha. Não deixe de fazer isso, pois mesmo com dias ensolarados precisei usar casacos de inverno na Alice. 
  • Procurei saber como era a comida da região. Essa sem dúvidas foi a parte mais difícil da viagem. Você também pode ter essa dificuldade principalmente se tiver um bebê na fase de introdução alimentar, ou uma criança pequena que não come de tudo. Pesquise restaurantes, supermercados, tudo que você pode ter de alternativa para cuidar da alimentação saudável do seu filho. Minha dica é para que você não entre em paranoia com isso. A criança poderá rejeitar tudo que você der até a hora que ela sentir fome, aí ela vai comer tudo. Foi assim com a Alice. Ela estranhou o tempero, o sabor e tudo mais. Mas, quando estava realmente com fome, comia o que eu dava sem reclamar. Fui ao mercado e comprei as frutas que ela gostava e isso ajudou muito. 
  • A primeira viagem em um avião me preocupava devido a pressão nos ouvidos e ao comportamento dela, então a dica que recebi foi de na hora da decolagem colocar a Alice para sugar. Seja o peito, a mamadeira ou a chupeta. Isso auxiliou para que ela não sentisse dor com os estalos no ouvido. Quanto ao tempo da criança dentro do avião, use bastante a sua criatividade para distraí-la. Pois é uma tarefa muito difícil para crianças levadas. Boa sorte! 
Bem próximo ao "Rio de La Plata", num hotel em Montevidéu, eu e meu marido vivemos dias inesquecíveis, pois foi lá o lugar escolhido pela Alice para dar seus primeiros passinhos e nos encher de emoção e alegria. Conhecemos lugares históricos e pudemos observar como era a rotina dos Uruguaios. Procuramos fazer passeios que pudessem ser legais para Alice, então isso incluiu caminhadas na Rambla, parquinhos e pracinhas. Andamos de ônibus, táxi e a pé. Fomos ao mercado, a nossa igreja assistir ao culto, ao shopping e em alguns pontos turísticos. Posso dizer que o Uruguai é um lugar caro. Apesar da moeda valer menos que o Real, convertendo vemos que é caro. Não é um local para compras, é apenas para conhecer.  Todas as pessoas são acolhedoras e simpáticas para dar informações. Assim como no Brasil, nem todos os restaurantes possuem fraldários. Não é fácil encontrar papinhas prontas, tipo "Nestlé" e algumas frutas não são produzidas lá, então elas são um pouco caras e o sabor diferente. Por exemplo a banana que compramos foi da Colômbia. Compartilho com vocês alguns lugares que estivemos.













Que tal uma corrida de papais e mamães com seus filhotes no carrinho? Achei esse evento maravilhoso e aqui no Brasil bem que poderia ter também. Olhem que legal!








Uma dica para realizar tranquilamente os passeios sem ser muito cansativo para a criança é levar o carrinho do bebê. No avião ele vai até a porta de entrada, um comissário de bordo leva para a área de bagagens, e ao sair do avião eles te entregam novamente. Não é necessário despachar com a bagagem e você utiliza muito em qualquer lugar que vai e caso a criança durma, está tranquila em seu carrinho.
Uma curiosidade bacana do aeroporto do Uruguai é que eles possuem carrinhos para empréstimo. Eles ficam próximos a área de embarque e desembarque e você pode utilizar em todo o aeroporto sem custo nenhum. Caso você opte por despachar o carrinho junto com as malas, poderá pegar um desses carrinhos emprestados. Achei isso bem legal e  não vi esse serviço disponível nos aeroportos aqui do Rio de Janeiro. Outra dica para que a viagem seja tranquila e melhor aproveitada pelo seu bebê é reservar um dia da sua viagem para descansar. Sem caminhadas longas! Um dia no hotel para relaxar garante que os bebês recuperem um pouco da energia e curtam mais o restante da viagem. A mudança drástica na rotina, pode deixar o bebê cansado e estressado. No meu ponto de vista, vale mais a pena "perder" um dia de viagem do que deixar todo o resto comprometido com um bebê cansado e com sono sem curtir nada.


O roteiro incluiu a ida a Punta Del Leste e confesso que não podia imaginar como é um lugar lindo! Praias tranquilas e seguras. Em Punta vi o pôr do sol mais lindo às 21h da noite, fui muito bem recebida pelas garças e tirei foto com o Leão Marinho mais simpático que já conheci. Vi hotéis de luxo, casas com arquiteturas diferenciadas e lindas, fui a museus, comi o melhor "dulce de leche" do mundo todos os dias, e provei o tal do "chivito" (muito gorduroso, não recomendo). Em geral amei tudo! E recomendo esse local para ir com crianças. Tem muitos lugares para interação total com a natureza.
























Para finalizar a viagem conheci Colonia do Sacramento. Uma cidadezinha com arquitetura Espanhola e Portuguesa, e posso dizer que é o lugar dos apaixonados. Cada cantinho revelava uma foto linda, impossível não se encantar. Comida gostosa e música boa pelas vielas. Lá não dá para andar com carrinho de bebê. As ruas são de pedras e é péssimo o percurso. Utilizamos uma cadeirinha tipo mochila e foi ótimo! Recomendo.




















Sabe, preciso dizer que o melhor da viagem não foi conhecer nenhum desses lugares. O melhor de tudo mesmo foi ver a alegria da Alice e ver a sintonia da nossa família. Foi lindo ver ela curtir tudo! Preciso dizer que foi um perrengue danado. Todos os restaurantes que íamos era uma confusão. Pedíamos uma "sillita" (cadeira) e onde menos ela queria ficar era nela. Espalhava tudo pelo chão e deixava a gente doido. Não me lembro de um monte de coisas que aconteceram lá, mas, não esqueço dela pulando na cama no dia que chegamos com cara de sapeca com um alegria danada, e no auge dos seus 12 meses de vida parecia que tava entendendo tudo, e que já tinha sonhado viver aquilo com a gente e estava realizando. Os benefícios para o casal e para a família são incontáveis. Se você leitor, tem dúvidas se deve ou não fazer uma viagem com uma criança de 1 ano, eu te digo que vale muito a pena. Linhas maravilhosas serão escritas no caderno de memórias da família assim como foram escritas no da minha.






Espero que tenham curtido e até a próxima!